2068-32internet.png

criação

Da dança ao teatro.

Buscando abrir as torneiras do coração. 

 

MÁSCARA ENCENA

A potencialidade da máscara inteira expressiva na cena contemporânea.

Uma máscara que não faz uso da palavra falada e que tem sua dramaturgia construída através do corpo em movimento. Um corpo que através da respiração, do impulso, do desequilíbrio, da ação e reação é capaz de expressar distintos sentimentos como tristeza, alegria, raiva. 

Os espetáculos Imobilhados [2017] e 2068 [2019] (ambos com direção de Liane Venturella) tratam de temáticas como solidão e liberdade humana. Com o uso de máscaras expressivas inteiras e manipulação de bonecos, o elenco apresenta fragmentos poéticos da vida humana dotados de delicadeza e expressividade.  

Nos filmes e experimentos audiovisuais, como 206820 (direção cinematográfica de Mauricio Casiraghi) e Imobilhados na Quarentena (colaboração com Eroica_conteúdo), o grupo investiga a relação entre a máscara e a linguagem cinematográfica.

Para saber mais acesse aqui

 

VÍDEO-DANÇA

Uma improvisação conjunta entre uma câmera na mão e um corpo em movimento. 

Nos últimos anos, algumas improvisações realizadas por Camila em colaboração com o artista Caio Amon originaram vídeos como ROSE e AVENA

Atualmente, os artistas estão no processo de criação do vídeo-dança SOLEIL: uma criação financiada pelo Conseil des arts et des lettres du Québec (CALQ), através da colaboração com o artista Marc Bordeau (CAN). O vídeo está em processo de gravação e já teve sua primeira etapa filmada em Fernando de Noronha e Santa Catarina. 

Para assistir o vídeo ROSE na íntegra acesse aqui. 

 

ARTES CÊNICAS

Do teatro de rua à ópera: o corpo em cena. 

Com o grupo Teatro Geográfico (direção de Tatiana Vinhais), destacam-se espetáculos O MAPA, Serenata Geográfica e Geocoreografia, que exploram a ocupação de espaços não convencionais e apresentações itinerantes. ​

Dança e rapel cênico predominaram nos trabalhos Ópera Açoriana, O Amor sobre o Concreto da Cidade e MITHOS (grupo Falos & Stercus), dirigidos por Marcelo Restori.

Desde o início da pandemia, o coletivo Criação Kamikaze (direção de Renata de Lélis) vem explorando a relação entre a dança e diferentes mídias, destacando-se a Maratona de Dança Kamikaze. 

 

Os espetáculos Abele S. e Leonce et Lena foram criações que se originaram na residência artística L'Aria - 19º Reencontre Internacional de Théâtre, na Córsega. Uma experiência imersiva de criação em meio à natureza exuberante, com direção pedagógica de Serge Nicolai.  

Outros espetáculos: Os Plagiários - Um inventário Ficcional sobre Nelson Rodrigues, Muovere REMIX (direção Cia Muovere), Kalashnikov (direção Jezebel de Carli), A Partícula de Deus (direção Julio Conte) e Pimenta do Reino em Pó (direção de Suzi Martinez). 

 

AUDIOVISUAL

Cinema, série e vídeo-arte. 

PONTO ZERO longa-metragem [2016]  

direção José Pedro Goulart - produtora: Mínima

atriz coadjuvante - personagem: Maria Helena

TERATOMA curta-metragem [2020]

direção Renata de Lélis - produtora: Coletivo Habitantes

atriz protagonista - personagem: Duda

Banalidade do Mal série de TV [2021]

direção Fábio Canale - produtora: Besouro Filmes

atriz coadjuvante - personagem: Tabatha

Depois de Ser Cinza longa-metragem [2020]

direção Eduardo Wannmacher - produtora: Pironauta

Antes do Azul vídeo-arte [2019]

direção Romy Pocztaruck produtora: Pedra Filmes

Eu Não Vou Dizer eu Te Amo longa-metragem [2016]

direção: Guto Bozzeti

atriz coadjuvante - personagem: Mariana

Fora da Curva curta-metragem [2019]

direção: Jéssica Fontoura

atriz protagonista - personagem: Deise

@camilakvmc